Entrevista com Danilo Sancinetti Modolo – Tokudoc

Danilo Sancinetti Modolo é brasileiro, mora na Espanha é fã de tokusatsu, dono do canal TokuDoc e está lançando pela Editora Estronho seu primeiro livro: “Ultraman. A obra que conta com ilustrações de Eduardo Monteiro, prefácio de Alexandre Nagado, do site Omelete e Revista Herói, traz como tema a família de personagens mais famosa do universo japonês e mundialmente aclamado: Ultraman. Este que segundo o autor, é referência para diversas produções com heróis e vilões dentro e fora do universo tokusatsu tanto no Brasil quanto no mundo. O livro além de reconstituir a saga do personagem criado por Eiji Tsuburaya também traz entrevistas com os dubladores brasileiros. Mal podemos esperar para ler!

Em um bate papo com perguntas selecionadas pela equipe do Serial Cookies e do fã clube Meganave-PR trazemos um pouco da visão do Danilo sobre Tokusatsu e seu livro!

___________________________________________________________________________________________________

Conte-nos como foi seu primeiro contato com Tokusatsu.
Foi sem perceber do que se tratava, com Spectreman e Ultras no SBT no comecinho dos anos 80, eu era bem novo, então não ativa um memória tão afetiva quando Jaspion e Changeman no fim dos anos 80, que foi quando o olho brilhou definitivamente. 

Como você vê o cenário atual do Tokusatsu no Brasil?
Eu vejo sempre positivamente. O tokusatsu, décadas atrás, foi um tema de mainstream, da moda e muito comercial no Brasil, mas depois foi esquecido. Hoje graças a internet, tudo pode ser revivido. E quem diria que, um canal do youtube exclusivo deste tema, teria tantos seguidores e assinaria um livro com o maior herói japonês que existe. É um ovo pronto para eclodir! 

Metal hero sempre foi muito popular no Brasil, principalmente por causa de Jaspion. Você concorda que novas séries nesse estilo estão fazendo falta?
Jaspion foi e ainda é muito popular. No Brasil, ele é sinônimo de tokusatsu e nenhum Metal Hero atingiu números iguais. As séries fazem falta sim, mas não como reprises, o lance é atualizar os espectadores antigos e apresentar aos mais novos que o tokusatsu vai além. Leva vantagem quem soube se modernizar como as séries se modernizaram.  

A Meganave-PR é um fã-clube de Power Rangers, mas respeitamos muito Tokusatsu e alguns de nossos membros assistiam as séries japonesas bem antes do surgimento das adaptações norte-americanas. Sabemos que há um certo preconceito no Brasil quanto a Power Rangers, sendo que, muita vezes, a qualidade de suas temporadas se iguala ou supera outras séries japonesas. Na sua opinião, qual seria o principal motivo desse preconceito? Seria por saudosismo dos fãs de Tokusatsu, por acharem que Power Rangers tomou o lugar dessas séries no Brasil? Ou realmente ou japoneses produzem material superior?
O pré-conceito já foi bem maior. Quando o TokuDoc surgiu eram guerrinhas diárias, hoje, com informação, argumentos e insistência, muitos, que antes criticavam, hoje até corrigem quem ainda não entendeu que tudo é tokusatsu. Sabemos que séries japonesas não passam mais, porque a própria TV não abre espaço e porque o mercado saturou. Power Rangers nunca tomou o lugar de ninguém, quando a série estreou na Globo, ainda passavam outras e mais algumas estrearam depois.  

Na sua opinião, qual o motivo de não serem mais transmitidas séries de Tokusatsu na tv brasileira? Seria por falta de público? Dificuldade na aquisição das séries ou de tradução?
Falta de espaço, pirataria e falta de apoio do público são fatores fortes.  

A série Akibaranger mostra de forma caricata um fã hardcore de Super Sentai. Quais semelhanças você vê entre o protagonista da série e os fãs reais?
Os brasileiros são ainda mais hardcore, pois nosso acesso a materiais é bem menor, um fã depende da ajuda de outro pra saber as informações, assistir episódios e filmes, traduzir, etc. Tudo porque, os fãs trabalham grátis para isso e com amor ao gênero. Pro protagonista era fácil, ele estava no Japão em Akihabara, por isso ele podia ser caricato.  

Quais personagens de Tokusatsu, heróis ou vilões, você considera mais marcantes? E por quê?
Cada um tem sua importância, dependendo da época que o fã viveu a série. Mas Ultraman é um pilar essencial, Jaspion, como já comentei, é sinônimo de tokusatsu o Brasil, a Yellow Flash e seus milhões de namorados platônicos até hoje, Gavan o policial que soube atravessar gerações e reapresentar uma ordem de heróis pra nova geração. Daria pra fazer uma lista infinita…

Como surgiu a ideia de abrir o canal TokuDoc e qual seu principal objetivo com ele?
O canal aconteceu porque eu queria falar de algo que eu gosto e não havia nenhum canal sobre tokusatsu, arrisquei e deu certo, os fãs abraçaram a ideia e cá estamos nós, mostrando que o tokusatsu tem muita força, hoje, o maior objetivo do canal.

Qual seria seu próximo projeto literário? Seria também sobre Tokusatsu ou você tem vontade de escrever sobre outros temas?
Não parece, mas dá muito trabalho escrever, sou do tipo “um passo por vez”, melhor aguardar o resultado do livro do Ultraman.

Qual crossover você gostaria de ver no universo Tokusatsu, em séries ou filmes? Você acha que poderia haver um crossover entre Power Rangers e os heróis japoneses?Acho muito, seria sensacional ver a mesma equipe das duas franquias,  lutando juntas, não seria? Um crossover interessante e inusitado seria se o algum Ultraman “comemorativo” encontrasse com o Kamen Rider da vez, como aconteceu na década de 90.

Você é um brasileiro morando na Espanha. Pela sua experiência, como é o meio tokusatsu na Espanha e quais as semelhanças e diferenças com o do Brasil?
Aqui não há nada, as pessoas nem sabem o que é tokusatsu, mesmo nos anos 90 passando algumas séries. Até Power Rangers aqui é atrasado e com pouco mercado.

 O seu livro sobre Ultraman indica que você gosta muito dessa franquia. Qual a sua visão sobre ele e a Tsuburaya em relação aos outras e suas respectivas produtoras (Toei, Toho, etc)?
A Tsuburaya tem uma visão de mercado muito ampla. Coloca suas produções em canais de streaming pro mundo todo ver, libera episódios completos em seu canal no youtube, segue fielmente trabalhando os heróis da franquia respeitando o passado, mas ao mesmo tempo atualizando, com visuais modernos e tramas interessantíssimas. Eles trabalham muito bem o produto como um todo respeitando o consumidor.

Você tem acompanhado as novas séries de Ultraman? O que acha delas?
Claro que sim, com muito gosto, Ultraman enche os olhos com seus efeitos modernos, tramas inteligentes, muitas referências as produções antigas e quem assiste fica encantado.

O que te levou a encarar o desafio de escrever um livro sobre Ultraman e sua saga no Brasil?
Sou “workahollic”, quando recebi o convite fiquei entusiasmado não só pelo tema que me pediram, mas por levar o tokusatsu pra fora da internet.

Qual a sua série ou filme de Ultraman favorito e por quê?
Reescrevi essa resposta diversas vezes e percebi que vou ser injusto falando só um nome. Mas no momento o primeiro, pelo prazer que está proporcionando.

Para finalizar, poderia deixar um recado aos leitores do Serial Cookies e ao pessoal da Meganave?
Primeiro agradeço o convite e a abertura, parece clichê responder assim, mas estamos nós aqui, falando de tokusatsu e mostrando que o gênero ainda tem força no Brasil. E de verdade, não importa qual a série favorita de vocês, japonesa, americana ou de onde seja, abram as portas para Ultraman, sem ele tudo seria bem diferente nessas produções. Comprem o livro, assistam a série pra ver o que está escrito e descubram o maior herói japonês da Terra! E claro, quem gosta de monstros de borracha e heróis coloridos, já sabe onde procurar infos e curiosidades, passa lá no TokuDoc. Swatch!

___________________________________________________________________________________________________

E falando em TokuDoc há dois vídeos em especial que quero compartilha neste post.

50 Fatos sobre Ultraman


Quais são os Ultraman

Danilo estará no Brasil nos próximos dias para o lançamento do seu livro e passará por Curitiba no dia 12 de Agosto no Memorial de Curitiba no evento do grupo Literatiba.

Literatiba by Megacon
 Data: 12 de Agosto Horário: das 10h às 19h
 Local: Memorial de Curitiba - Rua Dr. Claudino dos Santos, 79 | São Francisco
 Entrada Franca!

Vídeo Chamada para os Eventos:

E quem não ir em algum dos eventos e quiser garantir seu exemplar em primeira mão já pode adquirir através do Site da Editora Estronho via pré-venda que inclusive até o dia 10 de Agosto estará em promoção por R$ 35,00.